09:40 to 10:00

Conversas da Manhã

África…Terra Nova - XLIX

24, Setembro 2020

Em mais uma edição do África…Terra Nova", hoje o professor António Batel Anjo fala sobre a melhor Escola.

A melhor Escola é aquela em que se ensina a aprender

(este foi o tema de um seminário do Observador, ontem 23 de setembro de 2020)

A rápida mudança que nos foi imposta, que de tão rápida não nos permite prever quais são as tecnologias em ascensão que farão parte do futuro, obrigou a alterar os paradigmas de ensino e de aprendizagem. 

Desde logo, traz à tona conceitos como a autonomia e a auto-regulação das aprendizagens que não se encontravam presentes no ensino tradicional. Sendo que os alunos não precisam apenas de conhecimentos, mas também de atitudes e valores para construírem o seu próprio saber. 

A educação não pode ter mais uma abordagem simples e directa sobre a transferência de conhecimento explícito entre gerações. De acordo com relatório “OECD 2030 Future of Education and Skills Project”, precisamos substituir os antigos padrões de educação por uma estrutura que combine o conhecimento com as competências, principalmente a criatividade, o pensamento crítico, a comunicação e o trabalho colaborativo. 

Na verdade, nada disto será alcançado digitalizando as velhas sebentas ou transferindo as aulas do quadro de ardósia para uma plataforma de comunicação digital. Temos que transformar radicalmente a maneira como ensinamos e adquirimos as competências científicas e tecnológicas. 

Qual é o caminho para as tecnologias como auxiliares do processo de ensino-aprendizagem? Temos que perceber muito bem qual é a relação entre as TI e o ensino experimental das ciências. São questões que merecem um profundo debate.

No entanto, na maioria dos países a educação continua a ser oferecida da mesma forma. Em países em desenvolvimento a situação é bem pior, pois nem sequer a disseminação das tecnologias foi verdadeiramente alcançada. Um dos maiores problemas é que o ambiente que rodeia a Educação é justamente um dos que mais tem necessidade de se renovar para se tornar inclusivo, justo e equitativo. Em países como Moçambique, com um vasto território e uma enorme dispersão, as tecnologias podem ser um auxiliar para levar a educação a locais quase inacessíveis.

Os conteúdos digitais trazem novos desafios à gestão das escolas, da educação e a todos que financiam a educação.

A educação digital aponta novos paradigmas pedagógicos e de gestão ao utilizar os meios tecnológicos, frequentemente aliados à adopção de processos mais dinâmicos de gerir e aprender. Não existe um modelo para a utilização da educação digital ou um conjunto de pilares e características que nos permita uma definição mais detalhada. Acaba por ficar tudo nas mãos das instituições para encontrarem uma fórmula que acreditam ser mais adequada para promover a formação, a gestão e o ensino de qualidade, aproveitando todos os benefícios das soluções tecnológicas.

Neste mundo conectado pelas tecnologias vão-se encurtando as distâncias, mas ao mesmo tempo vão-se estabelecendo cada vez mais desigualdades entre países tecnologicamente menos evoluídos e com uma educação a precisar de muitas reformas.

As novas gerações incorporam ferramentas digitais colaborativas na gestão da sua comunicação remota. Os conteúdos digitais são processos de aprendizagem que estão a fazer o seu caminho junto com a digitalização da comunicação, da informação e das mudanças de comportamento. As possibilidades desse universo digital são tão grandes quanto a criatividade de quem as utiliza.

Muitos dos problemas resultantes da crise do COVID-19 têm na sua raiz a cultura científica. A necessidade imediata e global de compreender a ciência face à pandemia nunca foi tão urgente. Até alguns meses atrás a maioria das pessoas não se lembrava da diferença entre vírus e bactéria, antígeno e anticorpo ou crescimento linear e exponencial. 

Esses são conceitos que os alunos aprendem em biologia e matemática, mas pouco são os que alguma vez os relacionaram com a vida real. Agora estes conceitos preenchem as páginas de todos os jornais. 

Segundo a UNESCO, “para um país atender às necessidades básicas do seu povo, o ensino das ciências é um imperativo estratégico”. No entanto existem desigualdades e, mais preocupante, ainda, vão-se agravar em países em desenvolvimento. 

Existem desigualdades quando se trata de educação STEM, a falta de conectividade, a falta de laboratórios e sobretudo as limitações dos professores faz com que a aprendizagem se degrade com o passar do tempo. A outra questão não menos importante, para Moçambique por exemplo, é o facto de os pais e encarregados de educação não dominarem a língua de ensino.

----------------------------------------

Música

340 ml - São quatro jovens de Maputo que desde 2000 fazem música juntos em Joanesburg.

https://www.youtube.com/watch?v=zeUxzYbQQSo

 

Podcasts:

23, Outubro 2020

Pedro Monteiro da Cáritas Paroquial da Gafanha da Nazaré, renova o apelo à sua boa vontade, e hoje vem muito bem acompanhado com Luísa Vilarinho, uma jovem de 16 anos e uma das alunas envolvidas na Mega Campanha de...

23, Outubro 2020

Segunda temporada da rubrica "Pela Nossa Saúde" com o Dr. Luís Sancho, Professor na Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro.

Sistema Nervoso - ...

23, Outubro 2020

Clássicos de Bolso é o programa de divulgação musical imaginado e dirigido por Gustavo Vieira Rebelo, em que todas as semanas é dado a conhecer um pouco de um dos muitos microcosmos do mundo da música...

23, Outubro 2020

Fátima Teles, vereadora do município de Ílhavo, apresenta mais uma iniciativa da Câmara Municipal de Ílhavo, que vai promover o 1.º Encontro de Políticas Públicas na área do Envelhecimento, enquadrado no projeto...

22, Outubro 2020

Em mais uma edição do África…Terra Nova", hoje o professor António Batel Anjo fala sobre a era digital.

Covid-19: 169.947 Testados / 11.331 Positivos COVID-19 /  9.165 Recuperados / 79...

22, Outubro 2020

Luís Ferreira, o programador cultural do 23Milhas apresenta as propostas para os próximos dias, nomeadamente a Milha!

22, Outubro 2020

Segunda temporada da rubrica "Pela Nossa Saúde" com o Dr. Luís Sancho, Professor na Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro.

Sistema Nervoso - ...

21, Outubro 2020

Nesta manhã Jorge Pires fala de biblioterapia, livros que ajudam a curar. A proposta é o livro: Remédios literários: livros para salvar a sua vida de A a Z, de Ella Berthoud e Susan Elderkin.

21, Outubro 2020

Segunda temporada da rubrica "Pela Nossa Saúde" com o Dr. Luís Sancho, Professor na Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro.

Sistema Nervoso - ...

21, Outubro 2020

Um programa da responsabilidade do CIDTFF da Universidade de Aveiro. Porque a diferença está na Educação e a Educação faz toda a diferença.

Esta manhã o nossao convidado é Mário Talaia, professor e...